Itália

La bella Toscana

por

A última parte da minha viagem à Itália foi à Toscana e pra mim, a mais esperada. Alugamos uma casa, que na verdade era uma vila antiga, perto da cidade de Cortona, que fica a leste da Toscana, quase na região da Úmbria. Quem viu o filme ou leu o livro Sob o sol da Toscana, provavelmente se familiarize com este nome, já que a história é ambientada lá, naquela charmosa cidadezinha etrusca.

Foi legal a gente ter ficado em Cortona porque além de visitar cidades da Toscana, pudemos conhecer cidades da Úmbria, como Assis. O que foi ótimo! Eu e o Lucas ainda não conhecíamos a região e adoramos. Quem lembra da novela Passione? O Totó morava lá, na Toscana! As imagens que apareciam na novela eram incríveis. Colinas, plantações de girassóis coloridíssimas, os famosos ciprestes contornando as estradinhas. Tudo muito encantador. E foram exatamente estas imagens que nos encantaram – fora os girassóis, porque estava na época da colheita :(

Chegamos à nossa casa (que alugamos aqui) à noite, então não deu pra aproveitar muito, só fomos jantar no centrinho de Cortona. No primeiro dia, fomos conhecer Montepulciano, uma cidadezinha medieval erguida toda em pedra no alto de uma colina (uma das mais altas de toda a Toscana – ai minhas panturrilhas!). Tem um belo centro histórico, com ruelas e fachadas imperfeitas, como toda cidade medieval deve ser. Prepare-se pra caminhar muito e fique com os olhos atentos às peculiaridades do lugar. Uma curiosidade que só fomos descobrir lá é que Montepulciano serviu de dublê de cenário para as cenas que se passavam em Voltera, do filme Crepúsculo. Estava cheio de Edwards e Bellas espalhados por lá!

No mesmo dia ainda demos uma passadinha em Pienza. Foi legal porque tava tendo uma feirinha na cidade, a Fiera Del Cacio. Uma dica é pesquisar antes as feirinhas nas cidades que vocês vão visitar. É sempre legal conhecer os produtos e costumes locais. Geralmente elas acontecem nos finais de semana.

No segundo dia fomos à Spello e Assis. E gente, eu me apaixonei por Assis! A cidade tem uma energia incrível! É onde São Francisco de Assis nasceu e onde está sepultado, na Basílica de São Francisco de Assis, que é colorida por dentro e linda. Além dele, também é a cidade de Santa Clara, que fundou a ordem das Clarissas e era amiga de São Francisco. As duas igrejas foram atingidas por violentos sismos em 1997 e estiveram fechadas durante dois anos para reformas. O que eu mais gostei da cidade foi que muitas pessoas levam seus bichinhos pra lá, em forma de agradecimento a São Francisco, que é padroeiro dos animais. Vale muito a pena conhecer.

Fomos à Siena no terceiro dia. E aquela cidade tem muita história. Inclusive ela é classificada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. Segundo a mitologia romana, Siena foi fundada por Sênio, filho de Remo, e podem-se encontrar várias estátuas e obras de arte mostrando, como em Roma, os irmãos Rômulo e Remo sendo amamentados pela loba, lembram da história? Lá, acontece duas vezes por ano o famoso Palio di Siena, na Piazza Del Campo. Aí em todas as ruas a gente vê as lindas bandeiras das contrades. O Duomo também é lindo e enorme.

Passamos também por Orvieto (cidade bem tranquila e pacata), Gubbio (linda, tem um passeio legal de teleférico, onde se vê a cidade lá do alto) e Sansepolcro, que fomos porque tava tendo o Palio della Balestra, muito divertido!

Não posso deixar de falar da gastronomia de lá, afinal, estamos falando da Itália! E eu, que amo uma boa massa, não podia ter ficado mais feliz. Comi trufa pela primeira vez na vida, e pela segunda, terceira, quarta… Era época da iguaria, então em quase todos os restaurantes tinha tartufo no cardápio.

 Bom, gente, é isso! Acho que deu pra ter uma ideia de como foi a nossa estada pela Toscana/Úmbria, né? Quero saber nos comentários!

Sardenha

por

Nossa gente, voltei da Itália há mais de um mês, e ainda não comentei sobre a Sardenha e a Toscana por aqui (já viram o post sobre Roma?)! Como sei que tem muita gente que vai pra lá, principalmente pra Toscana, não posso deixar de esclarecer algumas coisas e dar algumas diquinhas, porque sei o quão importante é encontrar este tipo de informação, mais pessoal, quando se vai viajar pra um lugar que não se conhece. Quando tava pesquisando pra viagem não encontrei muita coisa sobre a Sardenha, talvez por não ser um destino muito procurado, não sei. Mas o fato é que fomos meio sem saber o que iríamos encontrar!

Pra quem curte este tipo de viagem meio sem rumo é bacana essa sensação de ir descobrindo as coisas aos poucos, mas tem gente que gosta de planejar, e são pra essas pessoas que deixo as minhas impressões sobre a ilha.

Bem, vamos nos situar. Momento Wikipédia. A Sardenha é uma ilha do mar Mediterrâneo, que fica ao sul de Córsega e a norte da Tunísia. A ilha é enorme, e a região mais conhecida e famosa é a Costa Esmeralda, que foi pra onde nós fomos. Esta região, que é assim chamada pela cor esmeralda do mar, foi descoberta por um grupo de magnatas nos anos 50, tornando-se um dos balneários mais ricos do mundo.

A principal cidade da Costa Esmeralda é Porto Cervo, que foi onde nós nos hospedamos. A cidade tem um porto lindo, cheio de iates e veleiros. Pertinho tem um shopping ao ar livre que é uma delícia de passear e de fazer umas compras. Lá a gente encontra Louis Vuitton, Miu Miu, Gucci, Ralph Lauren, Cartier entre outras.

O aeroporto mais próximo de Porto Cervo fica em Olbia. Como nós estávamos planejando ir para o outro lado da ilha, em Alghero, que é uma das principais cidades da Sardenha, compramos as passagens pra lá, que fica a duas horas de carro da Costa Esmeralda! Imaginem o nosso cansaço! Não esqueçam de sempre conferir antes qual o aeroporto mais próximo da cidade que você vai ficar! Parece óbvio, mas quando são muitas viagens dentro de uma, às vezes pode rolar alguma confusão como essa.

Nós ficamos 4 noites no hotel Bagaglino Giardini. Quando chegamos levamos um susto porque nenhum dos quartos tinha ar condicionado! E quando se chega de Roma, com um calor infernal, a probabilidade de dormir sem ar condicionado é nula! Mas lá até que foi tranquilo, pois tinha uma brisa bem fresquinha durante a noite.

De mais, o hotel é honesto, limpo, mas sem luxo. A nossa vista não era das melhores, mas minha sogra ficou num quarto com uma vista espetacular! O modelo dos quartos é tipo apartamento, bem espaçoso, com sala, uma míni cozinha, varanda com mesa pra umas seis pessoas e banheiro. Almoçamos um dia no restaurante do hotel e comemos bem, mas nada inesquecível. Sabe quando a cara da comida é melhor que o gosto? Uma dica quando se fica em hotéis com bastante espaço é aproveitar pra ir ao mercado, comprar produtos locais e fazer alguma refeição ali mesmo. Nós tomamos café da manhã na varanda do quarto da Vivi e do Matias, meus cunhados, e outro dia no quarto da minha sogra. Compramos muitos queijos, prosciutto crudo, café, frutas e tava feita a nossa prima colazione!

Outro lugar bonito de passear é a Baja Sardinia, que fica pertinho de Porto Cervo. Lá jantamos num restaurante ótimo, o Corbezzolo, o ambiente é super agradável, o atendimento ótimo e tanto as entradas quanto os pratos estavam deliciosos!

Fomos uma noite para Palau, uma cidadezinha que fica ao norte de Porto Cervo. Jantamos no restaurante C’era una volta e o dono nos atendeu, super simpático! A noite foi bem agradável, e os nossos pratos estavam super gostosos.

Um dia fomos até Olbia. Não tem muita coisa pra se fazer na cidade, mas a parte histórica é bem bonitinha. Não deixem de ir parando e curtindo as prainhas, que são bonitas, mas nada que as nossas de Santa Catarina não tenham! Sério gente, quanto mais eu viajo, mais eu dou valor pras nossas belezas naturais. Uma pena que nossa infraestrutura turística seja tão deficitária, nós temos tanto potencial!

Bom, mas voltando à Sardenha. Última coisa! A maior característica da ilha são os nuragues, estranhas estruturas de basalto que estão espalhadas pela ilha. Não se sabe ao certo para o que serviam, mas são a única herança que restou do povo que ali habitava.

Até que consegui agrupar bastante informação sobre a ilha, não acham? Alguém já foi pra lá? 

Roma, sua linda!

por

Demorei, mas aqui estou escrevendo sobre a minha viagem à Roma! É complicado quando a gente volta a vida normal, a rotina, até se organizar pra colocar tudo em ordem… Aí já viu, o blog ficou meio esquecidinho. Mas que nada, vamos voltando à ativa aos poucos!

Roma, na verdade, foi a primeira parte da nossa viagem (que contou com Sardenha e Toscana/Úmbria). Ficamos só 3 noites por lá, dois dias inteiros, o que é muuuito pouco pra conhecer e aproveitar bem a cidade. Mas quero deixar registrado aqui o que fizemos, o que achei mais bacana, pra quem estiver com viagem marcada pra lá tenha alguma noção do que é legal priorizar ou o que é melhor deixar pra fazer quando voltar com mais tempo. Digo isso porque ainda quero voltar pra aproveitar melhor, foi super corrido mesmo!

Primeira dica, se prepare para caminhar muito. Roma é bom de ir descobrindo a pé. No primeiro dia estávamos super empolgados, então caminhamos muito mesmo. O calor atrapalhou um pouco, estava fazendo quase 30 graus e não tinha vento. É bom levar uma garrafinha d’água pra ir se hidratando no caminho e sempre que houver pontos de água potável, reabastecer a garrafinha!


O nosso hotel ficava pertinho da Piazza Navona, e por isso foi a primeira atração que conhecemos. A praça é linda, de dia e de noite. De dia fica tomada de artistas e vendedores de arte, gravuras, etc. E de turistas, é claro. À noite é mais tranquila, uma dica é jantar ou fazer o happy hour num dos restaurantes que ficam ao redor da praça, a vista é garantida. Ahh, a embaixada brasileira fica lá.

Depois seguimos até o Pantheon, que fica no centro da Piazza della Rotonda. É incrível gente, uma construção gigante, muito bem conservada se formos pensar que foi construída entre 118 e 125 d.C! É lá que está o túmulo de Rafael e dos reis da Itália moderna.

Fontana di Trevi / Pantheon 

Uma dica é ir lá à noite, assim como a Piazza Navona, a Fontana di Trevi e o Monumento à Vittorio Emanuele, já que de dia é cheio de turistas, dá até preguiça de pensar. Como nós estávamos num hotel pertinho da Piazza Navona, na nossa última noite caminhamos desde lá, passando pelo Pantheon, pela Fontana di Trevi e seguimos até o monumento. É lindo! Ter estas belezas só pra gente é impressionante. Vale muito a pena. E sobre a segurança, nos sentimos super seguros o tempo todo, e olha que estávamos com uma câmera fotográfica bem grandona. Quando chegamos em frente ao monumento à Vittorio Emanuelle, que também é chamado de Altar da Pátria, ainda tomamos um gelato num barzinho brasileiro, e olha que era quase 3 horas da madrugada!


Altar da Pátria / Coliseu / Arco do Tito

Outro ponto forte da viagem foi a visita ao Coliseu. Ir pra Roma significa ver a grandeza do Coliseu, não? Foi emocionante, eu amei. Imaginar tudo o que já se passou por lá é forte demais. Tem que ir. Tá, mais uma dica. Se a ideia for ir visitar pontos turísticos, é interessante comprar o Roma Pass, um passe no valor de 30 euros por pessoa, que te dá a possibilidade de visitar 2 pontos turísticos e mais 3 dias de transporte público grátis. Mas o melhor é que você não pega aquela fila quilométrica! Nós aproveitamos só pra entrar no Coliseu, mas já valeu a pena. E dá pra comprar pela internet ou nos pontos de informação turística.

Piazza di Spagna / Piazza del Popollo

Outro passeio legal de se fazer é ir da Piazza di Spagna, com sua famosa escadaria, pegar a Via Condoti que é cheia de lojas legais (desde Prada, Louis Vuitton, Celine, Sephora até H&M) e chegar na linda Piazza del Popollo. Lá, os pedestres podem andar tranquilamente, já que os carros não podem circular. Sentamos num dos restaurantes de frente para a praça, pedimos um chopp e um antipasti e ficamos ali, só vendo a vida passar.

Castel S’Angelo / A caminho do Vaticano

No nosso segundo dia deixamos para conhecer o Vaticano. Apesar de não sermos muito religiosos, é um passeio tipo tem que ir, né? E foi legal conhecer a Piazza de San Pedro, a Basílica de São Pedro, os museus do Vaticano e a Capela Sistina (que fica dentro dos museus) é uma coisa de linda. Dá vontade de ficar horas apreciando toda a beleza dos afrescos de Michelangelo, sério, me emocionei. Fomos a pé até o Vaticano e antes de chegar passamos pelo Castel Sant’Angelo onde fica o mausoléu do imperador Adriano e já foi porto seguro dos papas em tempos de crise política.

Um bom lugar para jantar e ficar admirando o charme da cidade é a Via della Pace, lá tem vários restaurantes e barzinhos, ótimos pra tomar um drink no final da tarde e depois curtir um jantarzinho. Nós comemos em dois restaurantes ali, um é o Serafini, comi um prato com berinjela, pasta e queijos que estava muito bom! Se gostar de cerveja peça uma birra alla spina (chopp) da Poretti, delicinha. O Bar del Fico, que é famosinho, fica por ali. Nós fomos um dia mas como estava vazio, resolvemos não arriscar.

Via della Pace

Bom gente, acho que por termos ficado só 2 dias até que aproveitamos bem e rendeu algumas dicas pra vocês. Espero que tenham gostado e aguardem o post sobre a Sardenha e Toscana, viu?

Beijo, beijo!