bebês

Papo de Mãe: e chegou o final de ano!

por

Bom dia meninas, tudo bem?

Andamos meio sumidas, né? Quer dizer, eu ando meio sumida aqui no blog. Eu sei, eu sei! Mas o motivo é nobre, e em breve vocês saberão. Teremos muitas novidades lindas por aí… Mas não é sobre isso que o post de hoje fala… é também para explicar a minha ausência. A minha fiel escudeira e ajudante, Vera tirou suas amadas e merecidas férias e sobrecarregou tuuuudo aqui em casa! Visualizem a situação: bebê (que quase não é mais bebê, mas tudo bem), casa pra organizar, festas de final de ano, arrumação geral (que a gente sempre deixa para essas épocas), festa disso, festa daquilo, o João Henrique fez 1 aninho – estou apenas esperando as fotos MARAVILHOSAS  da Michele Sautner ficarem prontas para fazer um post contando tudo como foi essa aventura, conduzida pela Rúbia de Lima, nossa parceira aqui do blog. E a mamãe aqui ainda tinha um TCC do MBA para entregar, visualizaram a minha situação nos últimos tempos? Um tanto quanto conturbada… mas final de ano é assim, né?

Continue lendo →

Papo de Mãe: A democracia da maternidade

por

Oi gurias, tudo bem?

Com dez meses de maternidade ativa e muita reflexão a gente vai percebendo certas coisas, que antes eram óbvias, mas que só na maternidade elas se tornam plenas e beeemmmm reais. Uma delas é que durante o maternar, seja na gestação, pós-parto ou criação todas as mulheres acabam sendo iguais, não importando a classe social, instrução escolar, crenças e/ou qualquer outra classificação. E quando eu falo em igual é que todas elas vão ver o seu corpo durante a gestação mudar, o peito de todas vai aumentar, os incômodos – tão comuns ao momento – serão bem democráticos, o que irá mudar será a origem dos incômodos, mas eles com certeza estar lá. Todas terão muito medo, todas nós iremos sentir aquela ansiedade em querer segurar seu toquinho ou toquinha nos braços. Todas terão medo do parto, seja ele natural ou cesárea. Todas terão o período de adaptação depois do nascimento do bebê, o que vai mudar apenas é a intensidade, o endereço e o RG. Só.

maternidade - papodemae - democraciamaterna

Todas nós teremos as mesmas perguntas:

A pega será que está correta?
Por que o meu bebê chora, será que é cólica?
O leite não desceu, e agora, posso complementar?
Chegou o momento das papinhas, meu filho fez cara feia, e agora?
Será que eu posso colocar temperos na comida salgada?
Qual a melhor cadeira?
Fiquei com a barriga saliente, e agora?
Meu cabelo está caindo, o que eu faço?

Várias e várias e várias e várias perguntas serão feitas, e serão as mesmas. Para todas. As pessoas sempre falam que ser mãe é padecer no paraíso, mas ninguém contou o que seria o tal padecimento e o tal paraíso. E se contassem muitas também não acreditariam. E sabem o porquê? Porque para cada uma é uma experiência, e esta experiência é democrática, todas tem e todas são diferentes. O que irá mudar será a nossa postura com relação a estas experiências. Os medos, anseios, dores e muuuuuuuitos amores serão bem democráticos. A relação com o marido não será a mesma de antes, e quem disser que nada mudou pode ter certeza que estará mentindo. Ela pode até ter melhorado, mas igual não será mais.

A equação muda e a matemática da vida faz com que a gente perceba que aquele somar no final da contas multiplicou. E multiplicou para todas! Todas as mulheres, todas as famílias, e o que faz com que esta multiplicação seja equilibrada é a postura de cada mãe, de cada pai, de cada família. Mas a multiplicação é unanime.

Certa vez vi um comercial sobre as diferentes posturas com relação à forma de maternar. As mães que amamentavam no peito exclusivamente, as mães que complementavam, as mães que usavam carrinhos contra as mães que usavam slings, as mães executivas que tiveram que voltar versus as mães que largaram o trabalho para se dedicarem integralmente a criação dos seus filhos. E em determinado momento um dos carrinhos se foi morro abaixo, e todas aqueles homens e mulheres correram atrás do carrinho para salvar o bebê. E é disso que a maternidade é feita, cada um do seu jeito, porém democraticamente todos querem o melhor, sempre.

maternidade - papodemae - democraciamaterna2

E todos passarão por todas as fases do vídeo game. E a calma será sua melhor amiga, sempre. O que vocês acham?

As fotos lindas do post são da Michele Sautner, do Projeto Amor de Bebê. <3

Um beijão mamães! #tamojuntas