Papo de Mãe: Sobre a introdução alimentar

por

Oi gurias! Tudo bem?

A introdução alimentar é um dos momentos mais esperados e também de maior dúvida para as mamães, não é mesmo? E para mim não foi nada diferente. Eu não via a hora de poder experimentar junto com o João Henrique as descobertas deste momento. Começamos a introdução alimentar quando ele completou cinco meses, com as frutas. Lembro ainda hoje quando fui no mercado comprar as frutas para ele comer: pera e maçã Argentina, mamão papaia e banana prata. E mesmo eu trabalhando com agronegócio me confundi na hora e comprei uma outra maçã, a Fuji. Lá fui eu comprar a maçã Argentina, pois a Fuji não raspava.

Quando dei a maçã pro JH ele fez aquela cara de nojo suuuuper típica. Porém durante a gravidez eu havia lido bastante sobre o método BLW – Baby Led Weaning (que nada mais é do que dar em pedaços a comida – sejam frutas, vegetais ou ainda comida salgada), pensei: “Vou experimentar isso com o JH”. Dei a maçã pra ele e qual foi o meu espanto? Ele fez aquela cara super nojenta novamente. Troquei para a pera no dia seguinte, a mesma carinha de nojo, tentei a banana no terceiro dia, mesmo resultado: banana no chão, em cima da cadeira, na roupa e nem um pedaço na boca. Era uma cara de nojo e a boca cerrada. Fiquei tão decepcionada, pois estava esperando que ele fosse abrir o bocão e comer horrores. #sabedenadainoncente.

Foi aí que conversando com uma amiga sobre meu fracasso em introduzir as frutas, ela comentou que com o filho dela – ela já está no segundo, logo já estava em uma fase super avançada do vídeo-game materno – ela experimentava a mesma fruta por três dias seguidos, no lanche da manhã (que eu dou por volta de 9h30min/10h), e no lanche da tarde (lá pelas 15h30/16h). E não é que funcionou?! Nunca esqueço o dia em que o João Henrique comeu meia pera raspada inteira, e é claro, como mãe babona registrei este momento. Quem nunca, né? <3

Mamãe babona e feliz com a primeira metade de pera. <3
Mamãe babona e feliz com a primeira metade de pera. :D

Passado aquele primeiro mês consegui introduzir todas as frutas, e aí quando ele já havia experimentado o sabor de todas, eu criei coragem para entregar os pedaços inteiros e realmente começar com o BLW mais segura. Não que eu não pudesse tentar em BLW primeiro a sequencia das frutas, mas não me sentia segura para fazê-lo. Não acreditava muito no tal do gag reflex, que é o reflexo que ocorre na garganta quando o bebê ingere um alimento maior do que ele consegue engolir e expelem o pedaço, fazendo aquela carinha de ânsia.

Na segunda etapa foi a vez dos legumes, eu permaneceria com a mamada da manhã (nesta época eu ainda amamentava no peito), dava a fruta, e comecei a introdução dos vegetais no almoço. Nunca vou esquecer, o pediatra do JH nos orientou a dar legumes, e o único legume que me vinha a cabeça era batata (que na verdade é um tubérculo), e foi aí que recorri ao Santo Google, para me ajudar a fazer um cardápio de legumes que eu pudesse cozinhar. Fui pro mercado com uma lista gigante, entre eles estavam a batata, cenoura, vagem, beterraba, abobrinha… nesta brincadeira, acho que comprei todos os legumes e verduras possíveis e imagináveis. Cheguei em casa e pensei: como vou fazer tudo isso ornar? Montei um cardápio básico, com quatro legumes, uma carne e uma folha verde. Resultado: primeira papinha salgada um desastre! Foi aí que lembrei de um texto que fala como se fosse um bebê de seis meses escrevendo para os pais sobre a sua introdução alimentar e a primeira dica para os papais é:

“Por favor, preparem a minha comida com muitos temperos naturais. Eu não gosto de comida sem graça. Quanto mais cedo eu me acostumar com gostos fortes, menos dificuldade de aceitação eu terei quando crescer.”

Google vai, Google vem aprendi a fazer um super caldo de carne caseiro para usar nas comidas do João (outro dia faço um post ensinando ele, prometo). Foi a minha salvação! Coloquei os legumes, o caldo e vrá: lá estava o JH abrindo o bocão e comendo aquelas pratadas lindas que toda a mãe sonha em ver o seu filho comendo.

Porém, em um final de semana eu não percebi que havia ficado sem papinha pro JH, não tinha os legumes em casa e precisava deixar o #babyesquilo na casa da avó no horário do almoço. Foi aí que conheci a Papin, uma linha de papinhas integrais que a Pantik – uma daquelas padarias que você entra e não quer mais sair, sabe? – produz com todo o amor, carinho e cuidado que as só as mães tem com relação à comida do seus filhos. Conversando com a Aline, a nutricionista de lá (beijo, Aline), ela me contou sobre como é preparada as papinhas, os cuidados, os ingredientes selecionados. Me contou ainda que as texturas e ingredientes são separados por fase – 6 meses, 9 meses e 1 ano – enfim ela me conquistou e ganhou uma cliente!

papodemae - introducaoalimentar - maternidade - blogmocafresca - BLW - papin
Papinha de peito de frango, óleo de girassol, alho, cebola, arroz branco, cenoura, couve folha, grão de bico, salsão e água. Para bebês a partir dos seis meses e mamães famintas. Me deu água na boca!

A Aline ainda me contou que eles possuem também as frutas.

papodemae - introducaoalimentar - maternidade - blogmocafresca - BLW - papin2
Papinha de manga, também a partir dos seis meses. O JH ama manga!

É o sonho de consumo de todas as mamães! Papinhas naturais, saudáveis, livres de conservantes e mais baratas que as industrializadas.

Atualmente o João Henrique come as frutas de manhã (da jaca ao limão), sim ele come banana e mamão, por exemplo e aceita apenas em BLW. Aquela fruta amassadinha dos cinco meses e meio, ele faz cara feia, cerra a boca e nada faz com que se abra. Eu entrego uma banana inteira pra ele: pensem em uma criança feliz, e o melhor que come bem! Ele come o almoço ao meio dia, a fruta na metade da tarde, janta à tardinha, e o mamá antes de dormir.

Ahhh neste mês de outubro, mês das crianças, a Papin está com uma super promoção: comprando cinco papinhas, você leva uma de graça. Ou seja, seis papinhas pelo preço de cinco. Bebê saudável, comendo sem conservante, sem açúcar e mamãe feliz economizando! 😀 #equacaoperfeita

Para as mamães e papais comprarem a Papin é fácil. Ela é vendida na Pantik, que fica na Rua Capitão Araújo, 431 e na Morom, 1328. Fone: (54)3601-0830 e (54)3632-4770. 

E por aí como foi a introdução alimentar?

Beijos! :*

Papo de Mãe: O tempo passou e o primeiro aninho do JH está chegando

por

Oi meninas! Tudo bem por aí?

Não sei se com vocês é assim também, mas sabe quando o tempo passa mais depressa do que um cavalo galopando na sua frente e você nem percebe? Assim está acontecendo comigo! O João Henrique já está com 10 meses! Quando menos percebi ele já estava engatinhando, caminhando apoiado nos móveis da casa – e eu quase não tenho mais um bebê em casa…

Com isso, percebi que tenho “apenas” DOIS meses para organizar a festa de um ano dele. Digo apenas assim entre aspas, porque para nós mães dois meses passam muito, muito, muito, muito rápido. E queremos fazer mil e uma coisas, e de preferência nós mesmas.

E como o Google é meu pastor e nada me faltará comecei a procurar ideias que se adequassem à proposta do aniversário do João Henrique, “João Pé de Feijão” (ideia da minha prima Lu, beeeijo Tia Lu!). Nas minhas andanças e pesquisas na web, acabei encontrando e ficando encantada pelo trabalho da Rúbia de Lima, conhecem? Ela já teve várias festas publicadas nas redes sociais da Revista Crescer, e é daqui de Passo Fundo! Gostei muito do estilo de festas que ela faz, principalmente porque tem uma pegada DIY – Do It Yourself (traduzindo do inglês, faça você mesma). E eu, como boa mãe que adora fazer as coisas, entrei em contato com ela, e deu super certo!

A Rúbia vai me ajudar a decorar e organizar a festa de aniversário do #babyesquilo. O tema será “João Pé de Feijão”, e vamos mostrar aqui todo o passo a passo da decoração e do que estamos pensando para a festinha dele.

Espero que vocês se encantem assim como eu estou encantada pelo trabalho da Rúbia.

chadobigode - maternidade - fraldas - mocafresca 1
Os bigodinhos fizeram toda a diferença na mesa, este foi o chá de boas vindas do Vicente, o tema foi “Gentleman”.
"Por um mundo com mais gentlmans, te brindamos e damos as boas vindas", muito amor em um quadrinho só, né? <3
“Por um mundo com mais gentlmans, te brindamos e damos as boas vindas”, muito amor em um quadrinho só, né? <3
Os doces foram enfeitados com chapéus, uma ideia super simples que faz toda a diferença!
Os doces foram enfeitados com chapéus, uma ideia super simples e linda
Até as xícaras foram decoradas com um adesivo. <3 #muitoamor
Até as xícaras foram decoradas com um adesivo de bigodinho. <3 #muitoamor
Olhem que ideia super original para colocar os brigadeiros!
Olhem que ideia super original para colocar os brigadeiros!
As boas vindas do gentleman Vicente! <3
As boas vindas do gentleman Vicente! <3
Este é o aniversário volta ao mundo do Joaquim, super inspirador!
Este é o aniversário de um aninho do Joaquim, o tema foi “Volta ao mundo”, super inspirador! A mesa ficou divina…
Duas malas, dois balões e duas cristaleiras. Simples, bonito e super aconchegante esta entrada.
Duas malas, dois balões e duas cristaleiras. Simples, bonito e super aconchegante esta entrada.
A festa é para o Vicente e seus amiguinhos, por isso uma mesa feita só para eles!
A festa é para o Vicente e seus amiguinhos, por isso uma mesa feita só para eles!
Achei esta ideia maravilhosa, um passaporte para a volta ao mundo! :D
Achei esta ideia maravilhosa, um passaporte para a volta ao mundo! :D
Outro cantinho especial pensado nas crianças. Tatames, amo festas com tatames. JH e seus amigos merecem na festa dele!
Outro cantinho especial pensado nas crianças. Tatames, amo festas com tatames. JH e seus amigos vão ter na festa dele! AMEI!
Amo a ideia de ter feltros, comentei com a Rúbia que uma boa parte da decoração será assim.
Amo a ideia de ter feltros, comentei com a Rúbia que uma boa parte da decoração será assim. E ela super topou!

Confesso para vocês que já queria ver tudo pronto! hahaha… ansiedade de mãe, né? #quemnunca

Quero saber de vocês, como fazem as festinhas de aniversário dos seus pimpolhos?

Para falar com a Rúbia é só clicar nesse link aqui, ou ligar no (54)9960-8247.

Quando o papai é um presente, cheio de histórias para se reconhecer e guardar

por

Olá mamães,

Como na maternidade, a fases do vídeo game vão passando e os desafios aumentando. Para tal agora quem escreverá direto aqui para vocês serei eu, Verônica Muccini. A Nati vai continuar escrevendo sobre moda, viagens e os outros assuntos do blog. Mas agora aqui na Coluna Papo de Mãe, poderemos trocar figurinhas diretamente. Eu e vocês! Não é legal?

O dia dos pais passou e resolvi falar um pouco sobre como são as coisas lá na Casa dos Esquilos (juro que escrevo em outro post toda essa história do Baby Esquilo, logo da Família Esquilo). Lá vai!

Como no livro do Piangers, O Papai é Pop, em que ele fala que “Todo pai é um colecionador de histórias. Cada história é um presente que nossos filhos nos dão. Guarde bem os seus presentes”. Tenho certeza que o papai do João Henrique, o Henrique é um excelente colecionador de histórias. A gente sabe, e ele mesmo costuma contar aos amigos que a paternidade ativa só começa quando o bebê nasce. Já contei o nascimento do João Henrique aqui e que quando ele nasceu ele foi para os nossos braços apenas para a fotografia e foi direto para a CTI. Quando o JH nasceu eu vi um Henrique completamente diferente do que eu conhecia, conheci ali o papai Henrique, e tenho certeza que ele se reconhecia também.

Papo de Mae - maternidade - pais - fotografia - moca fresca

O Henrique conta para os amigos que a ficha do nascimento do nosso #babyesquilo só caiu quando a médica disse: “Agora papai, vai lá na administração e interna ele na CTI”. O coração que já havia passado o dia acelerado, acelerou de forma diferente. Acelerou no Henrique pai, que via o filho ao invés de ir pro quarto junto comigo, ficar em uma incubadora por não sei quanto tempo. Quando nasceu o João Henrique nasceu um coração de pai acelerado e completamente apaixonado.

Como eu não podia subir para a CTI por conta de cesárea, o Henrique não saía de lá um minuto sequer, acordava de madrugada para ir vê-lo, me ajudou e apoiou quando tive que ir para o lactário, e quando saí de lá aos prantos contando que fiquei uma hora e meia para sair 10ml de colostro (uma frustração para quem sonha em amamentar e ter aquela livre demanda que a Organização Mundial da Saúde tanto fala).

Conheci um leão, que brigou com quem fosse preciso para que os remédios do nosso filho fossem dados nos horários certos, que chorou comigo quando o nosso filho saiu da CTI e podia ir pro quarto. Acho que foi um dos momentos de mais alívio, teríamos o nosso pequeno junto da gente. Conheci um pai que leu meticulosamente todo o manual de instruções do bebê conforto (e homens são totalmente avessos a manuais de instrução) para instalar no carro e não ter nenhum problema com o nosso maior tesouro.

Conheci um Henrique que acordava as três horas da madrugada comigo para me acompanhar na mamada e que eu entregava o JH para arrotar, e as sete horas da manhã acordava para ir trabalhar.

Papo de Mae - maternidade - pais - fotografia - moca fresca 3

Sabe quando você ainda solteira, sonha um dia em ter filhos e pensa, quero um pai atencioso, companheiro, participativo e que ainda me ache linda de pijama acordando de madrugada para amamentar e que se precisar fica sozinho com o nosso filho enquanto eu consigo tomar um banho tranquila? Tenho a sorte de ter esta história para contar, e este presente para guardar. Desde que o JH veio para casa o banho é por conta dele, hoje com nove meses, a hora do banho é a hora da festa deles, é emocionante de ver. Quando olho os pés bisnagas do meu filho vejo que são iguais aos pés bisnaga do meu marido, e me apaixono mais e mais por estes dois pés, que ao meu lado trilham a nossa história, as nossas conquistas e os nossos presentes, como diz o Piangers.

Me apaixono e reconheço até os resmungos dos meus dois Henriques e agradeço ao papai do céu todos os dias por ser assim, com eles e mais ninguém.

Papo de Mae - maternidade - pais - fotografia - moca fresca 2

Espero que vocês tenham gostado da novidade e vamos nos ver agora muito mais por aqui! :)

Confesso que para escolher as fotos dos meus meninos foi um trabalho muuuuito difícil, já que a Michele manda super bem. E a mamãe esquilo aqui fica babando! Estas fotos foram do “Projeto Amor de Bebê” do mês de agosto, que tinha como tema o Dia dos Pais! Não ficou um ahazo? (Sou suspeita!) hahaha…

E por ai mamães, como são as histórias e presentinhos paternos?

Beijos,

Verô Muccini