Como montei a minha mala-cápsula de verão

por

Preciso começar esse post agradecendo às muitas leitoras que dedicaram um tempo do seu dia pra ler o post de segunda, sobre os meus 30 anos e minha nova fase! Fiquei imensamente feliz pelo retorno de vocês e com mais certeza ainda de que estou no caminho certo. Por isso, obrigada, de coração!

Lá no post (pra quem não leu, clica aqui) eu falei que encontrei no armário cápsula, no minimalismo e num estilo de vida mais simples uma forma de viver com mais significado. Tudo começou em junho desse ano, quando descobri o blog Unfancy. Desde lá comecei a pesquisar – e muito – sobre o assunto e claro, tive a ideia de transformar todos esses questionamentos e descobertas num novo blog.

Estou trabalhando nele desde lá, e estou ansiosa pra compartilhar tudo com vocês. Mas enquanto isso, não posso ignorar essa minha nova fase por aqui, né. Como falei no outro post, o Moça vai continuar, mas com uma nova abordagem.

Deixando isso claro, queria contar pra vocês como foi viajar com peças bem reduzidas na mala – lembrando que o conceito de armário cápsula, minimalismo e toda minha trajetória nesse novo estilo de vida vai ser esmiuçado no novo blog, ok?

Bem, eu sempre me preocupei em não exagerar na mala. Quem me conhece sabe que sempre procurei levar o essencial – mas que hoje vejo que não era tão essencial assim. Sempre gostei de pesquisar sobre viajar leve e tenho muita curiosidade pelo assunto. E claro que o fato de viajar bastante contribuiu pra eu ter mais prática em fazer a mala e saber o que vale a pena levar e o que é bobagem.

Como a ideia dessa viagem pra Alemanha não era comprar – até porque estou numa fase sem compras – sabia que tinha que levar tudo que precisaria. Pra ficar mais objetivo vou listar como eu me organizei. Olha só.

1. Conferi o clima do destino. Fui em julho, o que significa alto verão na Europa. Ia precisar de roupas fresquinhas e confortáveis.

2. Busquei inspirações e referências no Pinterest. Criei um board no meu perfil com referências de verão (se quiser conferir ele está aqui). Ia colocando lá todas as imagens de looks de verão que gostava e que tinha a ver com o meu estilo.

3. Fiz um check list com as peças e cores mais vistas nas inspirações. Por exemplo, tinha vários looks com shortinho jeans, com camiseta listrada, com tênis de oncinha. Ia anotando todas essas coincidências numa lista. Esse foi o resultado:

* Cores: branco, jeans, azul, listrado, preto, cinza.

*Peças-chaves: Short jeans, camisa jeans, camiseta listrada, camiseta branca com grafismo, camiseta branca solta, camiseta cinza, calça branca, jeans destroyed, oncinha no pé.

mala cápsula - verão - alemanha - minimalismo 3

4. Pesquisei quantas peças iria precisar para os dias que passaria viajando. Minha viagem teve 17 dias. Isso não significa que você vai levar opções pra 17 looks! O ideal é levar looks pra 7 dias. Aí no restante do tempo você vai repetindo ou sendo criativo, usando peças em diferentes combinações. Vou listar o meu exemplo:

Partes de baixo: 1 calça jeans, 1 calça branca, 1 bermuda jeans, 1 short jeans = 4 partes de baixo.

Partes de cima: 1 camiseta branca, 1 camiseta cinza, 1 camiseta grafite, 1 camiseta com grafismo, 1 camiseta listrada, 1 blusa manga longa listrada, 1 camisa manga curta estampa p&b, 1 camisa manga longa bege, 1 blusa preta peplum, 1 camisa jeans, 1 jaqueta jeans com capuz = 11 partes de cima.

Sapatos: 1 rasteira, 1 sapatilha cinza, 1 slip on de oncinha, 1 bota Timberland = 4 sapatos. ps. Como estava indo pra Alemanha queria comprar um Birkenstok por lá (:

Total = 19 peças.

Outros: 1 bolsa a tiracolo, 2 biquínis, 1 pijama, calcinhas, meias, 2 óculos – mas como meu marido perdeu o dele no início da viagem, emprestei um pra ele, e acabei só usando o meu Clubmaster, como dá pra perceber nas fotos (;

mala cápsula - verão - alemanha - minimalismo 1

5. Escolhi as peças que tinham a ver com as cores que eu defini anteriormente. Pensar sempre em peças confortáveis e que conversem entre si. No fim, todas as partes de cima devem poder ser usadas com as partes de baixo.

Como no verão a gente costuma suar mais resolvi levar bem mais partes de cima do que de baixo. O bom é que são peças leves e que não ocupam espaço na mala, né. Levei uma mala média, que ficou bem folgada. Claro que com secador de cabelo, escova, produtos de beleza e maquiagem a mala tende a pesar mais.

Veredito: No fim, eu usei todas as peças! Acho que pela primeira vez na VIDA! haha As que mais usei foram as camisetas branca, a cinza e a listrada, e o short e bermuda jeans. A calça branca consegui usar 3 vezes e depois não rolou mais, hihi.

Usei só duas vezes a camisa de manga longa bege (essa eu levei com um fim específico mesmo, que era pra usar no festival de música eletrônica que a gente foi no fim da viagem, mas acabei usando na noite do meu aniversário também).

E depois que comprei a Birken usei demais e aposentei minha rasteira – levei a Melissa Flox, que funcionou super bem também! A bota Timberland levei porque sabia que íamos fazer caminhadas mais longas e subir no Zugspitze, que é o pico mais alto da Alemanha, e lá em cima é bem frio.

mala cápsula - verão - alemanha - minimalismo 2

Acabei comprando, como já falei, a Birken (modelo Arizona), um casaco impermeável pra chuva e pra subir no Zugspitze (tava bem frio no dia) e uma camiseta na H&M pra usar no voo de volta. A nossa mala foi direto de Frankfurt pra Porto Alegre, e ficamos uma noite em Lisboa, haha. Foi engraçado, mas nos viramos bem! Uma dica é sempre levar uma muda de roupa na mala de mão, viu?

Bom, gente. O post ficou gigante! Espero que vocês tenham compreendido bem o meu processo. Se tiverem dúvidas, perguntem nos comentários. Mas posso dizer que levar poucas peças foi ótimo para o bom andamento da viagem. Sabia exatamente o que eu tinha, aquilo que ia sujando colocava no fundo da mala, foi bem prático mesmo! Vale a pena! E acho que apesar de ter levado poucas peças montei looks charmosinhos. Enfim, fiquei bem satisfeita!

Para a próxima viagem vou levar ainda menos, gostei da brincadeira! 😉

Um beijo,

Nati

comentário(s) via facebook

17 comentários

  1. Natalia Arend

    Estou amando teus últimos posts Nati, e louca para conhecer o blog novo!! O post de Frankfurt foi incrível, fez recordar os meus dias na cidade que é linda!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Aiii que legal que está gostando Nati! Tô muito empolgada com essa nova forma de ver as coisas, mais simples!
      Beijos querida

      Responder
  2. Lili Novelo

    Olá Nati! Super gostei do teu post, também sou uma que loto a mala em viagens… E, além de estar trintando, estou nessa fase do menos é mais! Excelente as tuas dicas, estou indo para uma viagem de 20 dias e vou segui-las. Espero ter a mesma satisfação que você. abraço!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Que ótimo Lili, e olha, não me arrependi um só dia de ter levado poucas peças! Tenho certeza que se você analisar bem o que levar na mala não vai querer outra vida! É muito mais fácil viajar com menos. Boa sorte e qualquer dúvida pode me pedir, vou adorar ajudar. Beijos!

      Responder
  3. Caren Luísa Klein

    Oi Nati… Adorei as dicas… sucesso sempre!!! Abraços

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Que bom Caren! Obrigada querida, pra você também :)

      Responder
  4. Izabella Coelho

    Ei Nati. Todos os seus looks transmitem muita leveza, muito lindo! (me diz onde encontro essa rasteira linda? to apaixonada haha :p)

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Oi Iza! Que comentário fofo, obrigada! A rasteira é da Melissa. O modelo se chama Flox, muito amor, né?

      Responder
  5. Rafaela

    Amei as dicas Nathi! Parabéns pela organização da mala! Vou tentar também numa próxima! Beijos!

    Responder
  6. Rafaela

    Amei as dicas Nati! Parabéns pela organização da mala! Vou tentar também numa próxima! Beijos!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Que bom, Rafaela, fico feliz! Isso, tenta também, e depois vem me contar o que achou 😉

      Responder
  7. Camila

    Quero muito isso para minha vida! Nati me fala da onde é essa sua rasteira lindaaa? Desejando!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      hahaha! É um exercício diário, Ca, mas eu tô amando tudo :) A rasteira é Melissa!

      Responder
  8. Kayana Munhoz

    Nati adoreeeii seu post me identifiquei muito, porq sou bem assim, so compro o que realmente preciso, sempre fui uma pessoa que so compro se ameeei a peça porque se vc olhar pra ela e dizer, é acho que gostei, pode esperar que nao vai lembrar dela no guarda roupa. Na época que trabalhava em loja via clientes que jamais repetiam roupas de coleções passadas, o que era um absudo. Penso que hoje em dia tem inumeras possibilidades de se vestir bem e principalmente com baixo custo, basta um pouco de pesquisa e criatividade.
    Gosto muito do seu blog e com certeza te seguirei no outro. Bjos e sucesso.

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Oi Kayana! Que amor seu comentário, concordo muito com você! Não repetir roupa chega a ser engraçado né? Afinal o nosso dinheiro é suado e o legal mesmo é usar muito pra fazer valer a pena! Fico muito feliz pelo seu retorno! Logo logo o novo blog entra no ar! Tô ansiosa pra ver o que vão achar 😉 Beijos querida!

      Responder
  9. Fernanda Brugnera

    Nati! Super AMEI este post!!! Parabéns, conteúdo super esclarecedor e interessante! Detesto malas super pesadas em viagens, vou fazer uma mala assim também! Beijos!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Muito obrigada, Fer! Fiquei super feliz com o seu feedback :)
      Isso, tenta lá e depois me conta o que achou!

      Beijos

      Responder

Deixe seu comentário