12 coisas de Vancouver que eu sinto falta

por

Eu considero ter morado em Vancouver uma das melhores experiências da minha vida. Por isso, é natural que eu sinta falta de muitas coisas que eu via/sentia/fazia por lá. Neste post tem 12 delas. Quer ver?

vancouver - que sinto falta1

1. Andar na rua despreocupada. Uma das melhores coisas de se morar em Vancouver (ou em qualquer cidade de países do primeiro mundo) é que temos uma sensação de segurança por onde passamos. Caminhar na rua ou andar de ônibus ou metrô, é tranquilo. Andava de ônibus de madrugada e sozinha e não sentia medo. Isso não tem preço!

2. O trânsito. Taí uma das coisas que mais me estressa aqui onde eu moro. Em Vancouver eu usava o transporte público e andava muito a pé. Era muito bom andar por aquela cidade onde os motoristas e os pedestres respeitam as regras de trânsito e melhor, são gentis uns com os outros. Faixa de segurança é coisa séria. Por lá não tinha essa de atravessar no meio da quadra entre os carros (como é muito comum aqui, pelo menos na minha cidade). A gente ia até a faixa de segurança mais próxima, esperava o sinal dos pedestres abrir e só aí, atravessava. Era tão fácil, seguro e não estressante!

3. Falar inglês. O objetivo principal da minha viagem era ter mais fluência no inglês. Coisa boa conseguir se comunicar, não é mesmo? Saí de lá sabendo que poderia ter aproveitado mais nesse sentido (já que falei bastante em português com meus amigos brasileiros) mas hoje tenho muito mais desenvoltura pra falar inglês. E sinto falta de praticar, acreditam? Pra não esquecer, ando falando inglês sozinha em casa, dentro do carro e sempre que posso penso em inglês pra ver se conseguiria falar tal frase. Tomara que esteja funcionando (vou por em prática logo logo, já que nossa próxima viagem é para a Flórida! – conto mais em um próximo post).

4. Chai latte no Starbucks. Meu vício. Como não sou muito fã de café, e amo um chai, esse era o meu pedido no Starbucks! E gente, em Vancouver tem muuuitos Starbucks (pela proximidade com Seattle, nos Estados Unidos).  Ahhh, sinto falta dos cookies de gengibre de lá também.

5. Whole Foods no Park Royal. A Whole Foods vocês conhecem, né? É uma rede de supermercados americana de comida natureba. E Park Royal é o nome do shopping que ficava perto da minha casa. Ai gente, aqueles corredores cheios de produtos orgânicos, frutas apetitosas, mil e quinhentos tipos de pães, flores lindas. Era muito pra minha pessoa!

6. Passear em Granville Island. Sinto muito por não ter um lugar como aquele perto de mim (pra saber do que eu tô falando, tem um post sobre lá neste link). Era tão bom pegar o bus 50 em direção a Granville Island depois da aula (insira suspiros nostálgicos aqui). A gente caminhava por lá, comprava um cheesecake delícia no mercado, umas frutinhas, sentava pra olhar a vista e ia embora com as energias renovadas.

7. Passar na Anthropologie olhar coisas lindas. Lá no Park Royal também tinha uma das minhas lojas favoritas da VIDA! A Anthropologie é mais que uma loja, é um lugar de inspiração. Lá tudo é bonito, charmoso, romântico, delicado. Me perco em tantos adjetivos. Tem as velas e os perfumes mais cheirosos, os livros mais cool, os objetos de decoração mais amados. Sério, não tem como não sair de lá mais inspirada!

8. Ter muitos parques pra curtir o ar livre. Ahhh os parques… Vancouver é uma das cidades mais verdes do mundo, então o que não faltam por lá são parques. A gente brincava que, bastava ter uma graminha que eles colocavam uma placa “Park something”, haha! Brincadeiras à parte, era muito bom ter todo aquele verde pra admirar a aproveitar.

9. A beleza da cidade. Sendo mais genérica impossível, Vancouver é muito linda! Foi difícil me acostumar novamente com a minha cidade quando se mora por um tempo num lugar tão lindo. Vancouver tem mar, montanhas, tem verde, tem flores, é limpa… É muito fácil de se apaixonar, e se acostumar com tanta beleza.

10. Comer sushi à tarde. Amo sushi. Amo salmão cru. E o Canadá é a terra do salmão selvagem! Mas demoramos pra encontrar um japonês bom, bonito e barato em Vancouver. Maaasss, quando encontramos o Urban Sushi (fica na Graville St, em frente ao Pacific Centre) não passamos mais vontade de sushi at all! Íamos a tarde mesmo, fazer nosso lanche. Sinto saudade.

11. Usar o Google Maps e ir pra onde eu quiser com transporte público. Era assim. Alguém dava uma dica de passeio/lugar interessante/comida boa e a pesquisa começava. Era só entrar no Google Maps, digitar o lugar e pronto, o itinerário de quantos ônibus/skytrains tínhamos que pegar pra chegar lá aparecia na nossa frente. Fácil, eficiente e barato, já que fazíamos tu-di-nho de transporte público. Até a este lugar lindo fomos assim, olha só no link.

12. Meus amigos de todas as partes do mundo. E por último, mas não menos importante (pelo contrário!) estão as pessoas que eu conheci por lá e fizeram a minha viagem ser o que foi. Tenho certeza que se não tivesse conhecido essas pessoas não teria curtido tanto morar sozinha, num país desconhecido, apesar da cidade ser linda, segura, etc. Foram os amigos que fiz por lá que fizeram tudo fazer sentido. Conhecer pessoas de uma cultura diferente é muito rico. Ouvir suas histórias me fez aprender a valorizar as diferenças e entender que cada um tem o seu próprio universo particular e isso é tão, mas tão lindo!

Espero que tenham gostado do post,

Beijos,

Nati

 

comentário(s) via facebook

5 comentários

  1. Aline Pereira

    Natii,
    Também sinto falta de uns itens da sua lista!

    Lugar incrível. :)

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Verdade, Aline! Muito incrível :)

      Responder
  2. Gabi

    Nati, adorei o post, álias, todos os posts sobre o Canadá. Nem fui e já estou apaixonadíssima.
    Você engordou no seu intercâmbio? Tem bastante lugares de comidas saudáveis lá?
    E você comprou bastante por lá? Podia fazer um post com as comprinhas feitas.
    Beijos!

    Responder
    1. Nati Grazziotin

      Que bom, Gabi! Não engordei não! Comia bem por lá. É só querer, tem bastante frutas, gostava de comprar uns lanchinhos saudáveis na Whole Foods.
      E sabe que não comprei muita coisa, não? Comprei mais quando fui pra Seattle, aí aproveitei pra comprar roupas, tênis e uma bolsa na Kate Spade. Posso pensar num post de comprinhas, sim! Beijinhos :)

      Responder
  3. Natália

    Olá Nati!
    Tudo bem?

    Muito bacana o post, os lugares são maravilhosos, adorei.
    Você tem dicas de máquinas fotográficas para levar nas viagens? Suas fotos são demais. Acho que vale um post.

    Abraços!! 😉

    Responder

Deixe seu comentário