julho 2011

Minhas impressões sobre NY

por
Quando viajo gosto de levar um caderninho onde anoto tudo que fiz, vi e percebi. Em Nova York comprei um Moleskine (na verdade um pacotinho que vinha 2, por míseros $7, no Brasil o mesmo não sai por menos de R$40!) numa banquinha de revistas e livros antigos perto do Central Park e ali começei a rabiscar o itinerário da nossa viagem.

Visão do Central Park
Gosto de fazer isso para exercitar minha memória, podendo conferir mais tarde o nome daquele restaurante ótimo que fomos, aquela lojinha charmosa… Isso é bom, tanto pra dar dicas para os amigos como pra relembrar momentos gostosos.

Como gosto de passar informação adiante, afinal, sou jornalista, vou escrever aqui algumas impressões que tive sobre a cidade. Dicas de lugares específicos vou fazendo aos poucos.
Eu e ali atrás a Saks da 5º avenida! Emoção.
Chegamos na madrugada de sexta-feira e ficamos num apartamento no Midtown, perto do Rockfeller Center, há 3 quadras da 5º avenida (pausa pro uhuuu). Na hora que chegamos (4 da manhã) vimos muita gente voltando das baladas tri faceiros! Calculem. 

Flores no empório Dean & Deluca, no Soho

Pelo contrário do que falam, achei os americanos bem simpáticos, pelo menos aqueles que me atenderam em lojas, nos serviços turísticos (com algumas excessões, claro). E como não falo inglês, só me viro, achei-os bem compreenssívos com relação a isso, devem estar bem acostumados! Todo mundo pede “com licença” e “obrigado”, aprenderam bem a lição das palavrinhas mágicas. =P

Bryant Park
Eles são muito organizados e caprichosos, as praças são limpas, as pessoas vão às praças tomar sol (de biquini e tudo!), na correria do dia a dia, você enxega muita gente comendo na rua (eles pegam suas refeições nas famosas delis, que estão espalhadas pela cidade!), os cachorros tem pracinhas especialmente pra eles (com água pra se refrescar, brinquedinhos) dão muita atenção aos ciclistas (existem ciclovias em muitos trechos, nós atravessamos a Manhattan Brigde e a Brookling Brigde, ambas tem ciclovias muito boas e bem sinalizadas), em quase todos os restaurantes tem opções de sanduíches e hamburgueres (ótimos), e eles adoram um cocktail! Quem vai à Nova York pode ter certeza que vai tomar uns bons drink! =D Em compensação as cervejas são bem light, nada muito encorpado. Eles comem muito salmão e atum. Dizem as más linguas que as pizzas novaiorquinas são as melhores do mundo por causa da água que eles têm. Isso eu não sei porque não comemos! Uó! Eles oferecem água da torneira com gelo nos restaurantes pra todos os clientes, assim como é na França.
Detalhe pra Gay St

Eles são os loucos do ar condicionado, nunca vi gostar tanto de um ar gelado! Nos restaurantes leve um casaquinho se não quiser ficar com os pelinhos eriçados! Experiência própria. Pra quem gosta de cachorro-quente NY é uma perdição, tem uma banquinha de hot dog em cada esquina!

Bom gente, é isso! Já escrevi demais. Aos poucos vou postando dicas de lugares específicos, ok?

Beijinhos!

Meu batom nude perfeito

por
Sempre estive à procura de um batom nude, ou cor de boca, perfeito. Mas sempre fui atrás de dicas de outras pessoas, geralmente blogueiras, com tons de pele diferentes do meu. Aí nunca dava certo, afinal o meu nude pode não ser o seu! =D
Já experimentei o Hue e o Mith, ambos da Mac, e ambos indicados pela Vic Ceridono, que tem a pele bem clarinha! O Mith em mim ficou tipo uma pomada branca… Muito estranho! O Hue até ficou legal, mas  minha boca fica toda craquelada, por mais que eu use lib balm antes.
Pois bem, estava eu me divertindo experimentando os diversos batons na loja da Mac, na Times Square, quando passei o Honey Love. Estava ali. Era o meu nude perfeito! Como eu tenho a pele morena clara, e rosadinha, ele se adaptou muito bem! E apesar do efeito ser matte, minha boca não fica craquelada. YEY!
A cor no site da Mac
Então minha dica é: EXPERIMENTE! Às vezes o que fica bem em mim não fica tão legal em você! Era isso. Precisava dividir minha experiência com vocês!
E aí, qual é o teu batom nude perfeito?

Vi em NY: Muito plissado!

por
Uma tendência que vi muito em Nova York foram os plissados. Tanto nas fast fashion como nas grifes mais poderosas. Muita saia midi plissada, com transparência e blusa plissada também.
Neste inverno do cão que tá fazendo aqui no Sul, acho meio difícil usar a trend (só quero saber de usar meus casacos mais quentinhos e minha meia fio 80 de acrílico, a que esquenta mais), mas no verão podemos abusar do plissê! Pode anotar.
Olha como tecido mais fino (da saia) fica lindo misturado com tecido mais podrinho (da blusa).
Tudo branco! Look bem fresh, ótimo para os dias quentes de verão. 
Pra nos inspirar quando o verão chegar!

Olivia encontra Van Gogh

por
Quando olhei essa foto da Olivia Palermo no site Stockholm Street Style na hora me remeteu aos quadros e às pinceladas displiscentes de Van Gogh.
O vestido parece um jardim cheio de cores! Lindo! Bem como nas pinturas do artista, pós-impressionista, com suas paisagens coloridas, mas ao mesmo tempo tristes e bucólicas.

Update: O vestido é da Zara (!), custa 70 libras e foi visto por muitas celebridades por aí…

Um exemplo da moda imitando a arte.

Voltei de NY!

por
Genteee! Andei sumida, eu sei… Mas foi por um bom motivo, estava em Nova York, curtindo uns dias! Nem preciso dizer como estava bom, né? Minha primeira vez na Big Apple, então imaginem a cara de faceirice da moça que vos fala.
Lojas bacanas, preços amigos, prédios enormes, passeios excelentes, caminhadas com segurança a altas horas da noite. Tudo isso eu vi e fiz!
Fui pra lá pensando em comprar meu vestido de noiva (pausa pra emoção), mas não rolou (ahhh…), os modelos que tinha gostado só encomendando, aí ficaria muito em cima de hora… Mas tudo bem, agora pelo menos tenho uma ideia do modelo, e vou mandar fazer aqui mesmo, podendo explicar em português, o que é ótimo! =P
O bom é que voltei cheia de ideias de posts, dicas da cidade e alguns looks pra postar também! Escrevo ao longo da semana.
Beijos!