O frutismo e um desabafo

por
Tinha anotado pra fazer um post sobre o tal do frutismo há um tempão. Até que achei que tinha perdido o timing. Mas ontem olhando a Vogue de julho vi que tinha que falar sobre.
.Vamos retomar um pouquinho.
Tudo começou com Prada e suas bananas no melhor estilo barroco. Aí veio Stella McCartney e suas laranjas e limões que parecem ter saído de uma pintura de uma aula de artes (foi o que me remeteu, fazer o quê?!). E Zac Posen com suas maçãs, melancias e abacaxis lúdicos.
Stella McCartney
Sem esquecer que Miu Miu também apostou nas maçãs de um jeitinho bem fofo há algumas coleções atrás. Uma salada de frutas sem preconceitos!
Até aí tudo bem, cada marca colocando as frutas em foco da sua maneira.
Fiquei com vontade de escrever sobre isso porque acho que, tudo bem saber que fruta “tá na moda” e usar de suas referências pessoas, profissionais, imagéticas, ou qualquer que seja para criar uma estampa de fruta, desde que seja diferente, uma inspiração.
Zac Posen
Agora pegar essa referência e simplesmente copiar? Deixa isso pra Zara, H&M e Topshop da vida, que tão aí pra isso, são fast fashion. Agora uma marca (nacional, diga-se de passagem) que faz duas coleções por ano? Acho muita falta de criatividade. Além de menosprezar o conhecimento de moda do seu público. Quem vai pagar fortunas por uma peça que tem uma estampa que foi desfilada há quase 1 ano?
Pior que tem gente que paga. E pior ainda que o frutismo é só UM exemplo.

comentário(s) via facebook

Deixe seu comentário